Funcionários da Federação de Futebol sem salário há 13 meses: "Não sabemos como estes buracos financeiros foram feitos", diz novo presidente

Novo JornalPublicado 21/12/2016 11:57:00

Artur de Almeida e Silva, eleito presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF) no último sábado, 17, encontrou o organismo numa situação financeira crítica, onde sobressaem 13 meses de salários em atraso dos funcionários. Segundo o responsável, "as dívidas são avultadas".

Foto: DR

Em entrevista ao programa "Futebol no Estúdio", da Rádio Cinco, o recém-eleito presidente da FAF traçou um retrato negro da instituição que agora dirige.

"Estamos extremamente preocupados com a situação", disse Artur de Almeida e Silva, citado pelo Jornal de Angola.

Para além de constatar que "as dívidas são avultadas", o dirigente mostra-se perplexo com as contas encontradas.

"Não sabemos como estes buracos financeiros foram feitos", adianta, comprometendo-se, contudo a encontrar soluções.

"Vamos ser exigentes", garante Artur de Almeida e Silva, que elege a regularização dos pagamentos aos funcionários como prioritária: "Temos de pagar os salários aos profissionais da FAF".

O presidente da federação promete ainda "trabalho árduo", a começar pela reorganização interna da federação".

Recorde-se que o empresário venceu a corrida para o cadeirão da FAF com 67 votos, contra 54 de José Luís Prata e 13 de Osvaldo Saturnino de Oliveira "Jesus".

Primeira Página