Petro e 1.º de Agosto defrontam-se no dérbi dos dérbis

Eduardo GitoPublicado 08/04/2017 10:11:00

Petro e 1.º de Agosto defrontam-se no dérbi dos dérbis As formações mais titulares do Girabola ZAP, o Petro e o 1.º de Agosto, defrontam-se hoje, a partir das 18 horas, no estádio 11 de Novembro, empreendimento inaugurado em 2010, quando Angola acolheu o CAN 2010, partida referente à nona jornada do campeonato doméstico.

Foto: Arquivo Novo Jornal

A disputarem os três pontos de mais uma jornada do Girabola Zap, as equipas que vão estar frente a frente, este sábado, ostentam 25 títulos, dos quais 15 pertencem ao Petro de Luanda e 10 ao 1.º de Agosto. Por aquilo que tem sido a prestação das duas equipas, desde o início do campeonato, e pelo histórico que encerram, ninguém parte com vantagem. Ambas têm hipótese de vencer. Com os tricolores a receberem os militares, a partida muito promete. Antes do jogo que antecede o dérbi nacional, a formação do Petro de Luanda, sob orientação técnica de Beto Bianchi, foi, na ronda anterior, à província do Huambo vencer o Recreativo da Caála por 1-0.

Com oito jornadas já disputadas, os tricolores perderam com dois dos grandes do futebol nacional. Na segunda jornada do gira, os petrolíferos consentiram a primeira derrota do ano, diante do Libolo, por 1-0, e na sexta jornada por 2-1, diante do Kabuscorp do Palanca.

Já o 1.º de Agosto, na ronda oito, disputada no último final de semana, também venceu, por 1-0, o Santa Rita, equipa que se deslocou do Uíge a Luanda. Ao contrário dos petrolíferos, que já consentiram duas derrotas, os militares perderam uma única vez, diante do Sagrada Esperança da Lunda-Norte.

A derrota dos militares na Lunda-Norte obrigou a direcção a escrever ao Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol, por considerar que um dos jogadores do Sagrada foi mal inscrito na partida. Reclamação a que o Conselho de Disciplina da FAF ainda não deu resposta.

No histórico mais recente, as duas equipas repartem a pontuação. Recorde-se que, no Girabola ZAP 2016, os militares venceram por 1-0, na primeira mão, o inverso do que se verificou na segunda mão, altura em que os petrolíferos ganharam por 1-0, na partida que marcou o encerramento da prova, quando o 1.º de Agosto já era declarado oficialmente como vencedor do campeonato.

Dez anos depois, o 1.º de Agosto voltava a ser campeão nacional, numa época vista como brilhante em muitos aspectos, sobretudo numa era em que a direcção da Federação Angolana de Futebol (FAF) acabava por rubricar um contrato de três anos com a operadora ZAP, pelos direitos de transmissão dos jogos da prova.

Ao contrário da época de 2016, o 1.º de Agosto irá defrontar o Petro de Luanda sem Gelson Dala e Ary Papel, dois jogadores que na época transacta se transferiram para Portugal, num contrato válido por duas épocas e uma de opção.

Ainda nesta nova jornada, o destaque recai na deslocação do Líder Kabuscorp ao reduto do Interclube. Polícias e Palanquinos defrontam-se sábado, 8, no estádio 22 de Junho, ao Rocha Pinto. Outros jogos que marcam o destaque da ronda nove: Recreativo do Libolo-JGM do Huambo, Santa Rita-Académica do Lobito, Sagrada-Desportivo da Huíla, 1.º de Maio-Bravos do Maquis, Progresso da Lunda-Sul-ASA e Progresso do Sambizanga-Recreativo da Caála.

Primeira Página