Primeiro porta-aviões "made in China" apresentado em plena crise militar na Península Coreana

Novo JornalPublicado 26/04/2017 14:05:00

A China acaba de apresentar ao mundo o primeiro porta-aviões construído de raiz no país. Um colosso de 315 metros e mais de 70 mil toneladas de capacidade de carga "made in China" que passou a ser conhecido no pico da tensão entre a vizinha Coreia do Norte e os Estados Unidos da América.

Já era conhecida a intenção de Pequim dar início à construção dos seus próprios porta-aviões, tendo, para isso, adquirido um velho vaso naval desta categoria à Ucrânia para servir de modelo, o soviético "Kuznetsov".

Denominado provisoriamente de "001A", o primeiro porta-aviões integralmente fabricado nos estaleiros navais da cidade de Dallan, no noroeste da China, a pouco mais de 300 quilómetros da Coreia do Norte, pela empresa China Shipbuilding Industry.

Para além dos seus 315 metros, o "001A" tem 75 metros de largura e uma velocidade de 31 nós, apresentando algumas diferenças substanciais em relação ao modelo de construção soviética, com mais tecnologia incorporada, mais espaço de hangar para os jactos chineses e helicópteros, bem como maior capacidade operacional e raio de acção.

Esta nova arma ao serviço da Marinha chinesa deve estar totalmente operacional dentro de dois a três anos, faltando apenas a incorporação da tecnologia de combate.

Primeira Página