Afrobasket 2017: FAB nega "colisão" com Governo, e responsabiliza FIBA por anúncio de Angola como palco da prova

Novo JornalPublicado 28/04/2017 12:30:00

O anúncio de que Angola iria acolher a 29.ª edição do Campeonato Africano das Nações de basquetebol sénior masculino, Afrobasket2017, comunicado pela FIBA na sua página oficial, resultou de uma decisão unilateral do órgão que tutela a modalidade no continente, garante a Federação Angolana de Basquetebol (FAB), afastando a ideia que os responsáveis federativos assumiram o compromisso de organizar a competição sem o aval do Ministério dos Desportos.

Foto: Adjali Paulo

Através de um comunicado divulgado ontem, a FAB garante que em momento algum aceitou o convite endereçado pela FIBA África para substituir a República do Congo na organização do Afrobasket2017.

Segundo o documento, "de forma unilateral", a FIBA "tomou a decisão de eleger e anunciar Angola como o país anfitrião do Afrobasket".

A FAB esclarece ainda que a abordagem dos responsáveis da FIBA ao presidente da FAB, Hélder Cruz, ocorrida na sexta-feira da semana passada, em Bamako, capital do Mali, surgiu no decurso do Congresso da FIBA África, descartando a ideia de que o encontro resultou de um programa especial.

A mensagem da FAB, assinada pelo presidente Hélder Cruz (na foto), sublinha que nunca houve, da parte dos responsáveis federativos, qualquer acção desalinhada com as orientações do Governo.

"Em correspondência datada de 13 de Abril corrente, a FIBA África convidou oficialmente o nosso país [para organizar o Afrobasket2017], através de carta dirigida ao Governo da República Angola, via Federação Angolana de Basquetebol, que mais não fez do que remeter o expediente ao Ministério da Juventude e Desportos no dia 17 de Abril", lê-se no comunicado.

Primeira Página