Partidos tradicionais da África Austral apelam à paz na RDC

Novo JornalPublicado 19/05/2017 11:47:00

Os secretários-gerais dos partidos emanados dos antigos movimentos de libertação da África Austral apelaram ontem, em Luanda, aos responsáveis políticos da República Democrática do Congo (RDC) a tudo fazerem em prol de uma paz duradoura naquele país.

O comunicado onde está exposto este apelo foi aprovado no final da reunião dos secretários-gerais do MPLA (Angola), CCM (Tanzânia), Swapo (Namíbia), ANC (África do Sul), Zanu-PF (Zimbabwe) e Frelimo (Moçambique).

O encontro promove a concertação de pontos de vista sobre questões de interesse comum, bem como o fortalecimento das relações que há várias décadas unem estes partidos impulsionadores das independências dos respectivos países.

Durante a reunião, os participantes partilharam informações sobre o desenvolvimento político, económico e social dos respectivos países e olharam para a situação prevalecente na RDC, onde o agravamento das acções militares tem provocado centenas de mortes e milhares de refugiados em territórios vizinhos.

Os secretários-gerais dos partidos políticos, cujos antigos movimentos de libertação proporcionaram as independências nos respectivos países, declararam o seu reconhecimento às autoridades angolanas pela forma como têm acolhido e tratado os milhares de refugiados congoleses que buscam segurança em Angola.

A reunião, antecedida pelos encontros das organizações sociais das respectivas formações políticas, abordou o projecto da construção de Escola Conjunta, para aprofundar os programas de formação de quadros, tendo constatado com satisfação a sua evolução.

As delegações foram chefiadas pelos respectivos secretários-gerais, nomeadamente António Paulo Kassoma (MPLA), Gwede Mantashe (ANC), Abdulrahman Kinana (CCM), Nangolo Mbumba (Swapo), Eliseu Joaquim Machava (Frelimo), e Ignatius Chombo, secretário para a administração da Zanu-PF.

O próximo encontro terá lugar em 2018, na República da Namíbia.

Primeira Página