Lutar contra a "gasosa" ou contra a corrupção? - A crónica de Ismael Mateus

Ismael MateusPublicado 18/06/2017 11:58:00

Quando, há cinco anos, o presidente da CASA-CE introduziu o tema da corrupção nos seus discursos de campanha, afirmámos que talvez não fosse boa ideia os políticos levarem esse tema aos comícios por causa do populismo. Este ano voltamos a ter a mesma sensação ao ouvirmos o candidato do MPLA prometer colocar sal na gasosa que reina na corrupção miúda e ao pedir que as pessoas se façam acompanhar de amigos para filmarem os actos de extorsão aos cidadãos.

O ambiente animado das massas populares nos comícios torna-os em perigosas armas de manipulação política, levando os políticos a fazerem afirmações que os populares querem ouvir e a dizer frases que ficam no ouvido e até se tornam slogans. A experiência por todo o mundo demonstra que o combate à corrupção necessita de mão firme nas lideranças e, acima de tudo, de uma estratégia bem pensada e adaptada à realidade de cada país. Mais do que de frases de grande efeito, necessitamos de uma estratégia específica de combate à corrupção, de preferência atacando-se os "peixes-graúdos" e não as gasosas do dia-a-dia.

O maior problema da corrupção no nosso país é a certeza da impunidade e os maus exemplos que vêm de cima. Não é possível parar com a gasosa, com sal ou sem sal, se de cima para baixo (dos líderes políticos, dos ministros, governadores, juízes e outros) não forem dados exemplos de uma actuação exemplar.

De resto, na imensa literatura sobre o combate à corrupção, uma das lições que se ensinam é que o combate se faz pelo exemplo e de cima para baixo. Apesar de todos os problemas ligados aos direitos humanos que se levantam com a revolução anticorrupção de Singapura, as lições que nos chegam daquele país destacam o papel da liderança. Esse combate requer uma liderança forte, determinada, com pulso e muita autoridade.

(A opinião de Ismael Mateus pode ser lida na íntegra na edição semanal do Novo Jornal, nas bancas, ou em formato digital, cuja assinatura pode pagar no Multicaixa)

Primeira Página