Comunidade chinesa em Angola denuncia constantes assaltos e mortes

Isabel JoãoPublicado 16/07/2017 9:41:00

equestros, roubos e mortes contra cidadãos chineses são algumas das graves inquietações que preocupam a representação da comunidade chinesa em Angola.

Juan Chang, representante da comunidade chinesa em Angola, afirmou que, a cada dois dias, um cidadão chinês sofre uma tentativa de assalto ou sequestro em Luanda".

Na semana passada, adianta Juan Chang, um estaleiro de uma empresa chinesa, nas proximidades do canal do Kikuxi, foi assaltado por 10 indivíduos, dois deles vestidos com fardas da Polícia Nacional.

"Os indivíduos trajados de policias informaram os seguranças do estaleiro que vinham inspeccionar as armas dos seguranças. Passados cinco minutos, os 10 homens confiscaram todas as armas, anunciaram o assalto e colocaram todos os 30 funcionários que se encontravam no local na sala de contabilidade", descreveu o representante da cmunidade chinesa em Angola.

(Pode ler esta notícia na íntegra na edição semanal, em papel, nas bancas, ou em digital, cuja assinatura pode pagar no Multicaixa)

Primeira Página