No comunicado enviado às redacções lê-se que o rating "reflecte o perfil de negócios 'favorável' da seguradora, a elevada exposição do investimento à dívida soberana de Angola e aos bancos angolanos, assim como o desempenho financeiro e a capitalização de apoio.

O documento expõe, igualmente, que "esta classificação acontece após o rating soberano de Angola se manter com B-, com a alteração da "perspectiva estável" para "positiva" e que "a perspectiva positiva atribuída à NOSSA reflecte uma melhoria nas métricas de risco de investimento, se a classificação da dívida soberana de Angola for actualizada."

"As perspectivas para a notação da dívida soberana de Angola, e do Banco Angolano de Investimentos S.A. (BAI), accionista da NOSSA, são igualmente positivas. Adicionalmente, a melhoria na qualidade do crédito do Estado angolano pode melhorar o ambiente de negócios para as seguradoras", lê-se igualmente no comunicado.