As autoridades tomaram conhecimento por via de denúncias de populares que encontraram os cadáveres depois do cheiro intenso proveniente dos corpos abandonados há várias horas e em três locais diferentes, conforme relata o balanço de operações do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros a que o Novo Jornal teve acesso.

O sexo dos recém-nascidos não foi divulgado pelas autoridades que, a seguir, relataram as ocorrências ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) que, por via do Departamento de Investigação de Ilícitos Penais (DIIP), averigua dentro das comunidades vestígios de pessoas envolvidas nos delitos.

Sem avançar números, o Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros reconhece o exponencial crescimento de casos de abandono de recém-nascidos e demonstra preocupação pelo problema.