Papa Francisco "abre a porta" à entrada de homens casados no sacerdócio

Novo JornalPublicado 10/03/2017 10:11:00

A regra do celibato que a Igreja Católica impõe a quem queira ser ordenado padre poderá prever uma excepção, avançou o Papa Francisco, revelando que está em estudo a possibilidade de integração de homens casados no sacerdócio, para servirem comunidades remotas onde não existem párocos.

Foto: DR

Embora defenda que a falta de padres não se resolve com a remoção da regra do celibato, o Papa Francisco admite que a ordenação dos "viri probati" - ou homens casados de fé comprovada - pode ser uma solução para mitigar a escassez de sacerdotes católicos nas zonas mais recônditas.

"Devemos considerar se "viri probati" é uma possibilidade, e determinar quais as tarefas que podem realizar, por exemplo, em comunidades remotas", disse o Sumo Pontífice, numa entrevista publicada ontem no jornal germânico Die Zeit.

A proposta de inclusão dos "viri probati" arrasta-se há décadas, mas parece estar finalmente a ganhar pernas para andar com o Papa Francisco.

O cardeal brasileiro Claudio Hummes, amigo de longa data do Santo Padre e ex-chefe de gabinete do Vaticano para o clero, tem vindo a pressionar para que sejam permitidos os "viri probati" na Amazónia, onde a Igreja conta com um sacerdote por cada 10 mil católicos.

Primeira Página