Longas filas nas bancas de registo eleitoral desmoralizam cidadãos, mas nem o sol escaldante os afasta

Alexandre LourençoPublicado 15/12/2016 16:12:00

Duas razões parecem contribuir decisivamente para as longas filas que se verificam em Luanda nas bancas das brigadas responsáveis pela actualização do registo eleitoral com vista à preparação das eleições gerais de Agosto de 2017: o aproximar do fim da primeira fase do processo... e o facto de muitas empresas estarem a exigir aos seus trabalhadores, actuais ou que pretendem admitir, que tenham o registo concluído.

A poucos dias para a conclusão da primeira fase do registo eleitoral, as brigadas de emissão dos cartões de eleitor estão a registar longas filas, situação que está a desmoralizar os cidadãos que pretendem proceder à actualização do seu registo.

O director da brigada do triângulo, localizada no distrito do Rangel, Manuel Neto, explicou ao Novo Jornal que a causa das enchentes nas brigadas de registo eleitoral deve-se ao término da primeira fase.

O Novo Jornal deu uma volta nas brigadas do Marco Histórico do Cazenga, do Mercado dos Congolenses, do Triângulo e do Comandante Jika e foi possível constatar as longas filas formadas pelos cidadãos que pretendem obter os seus cartões.

Mário Gustavo, um dos muito que o Novo Jornal encontrou nas filas, disse que para além da primeira fase do registo estar no fim, as brigadas ainda são poucas, razão pela qual há tanta gente nos postos de registo.

"Tive que faltar ao serviço para estar aqui e quando isso acontece é muito complicado, razão mais que suficiente que os responsáveis coloquem mais brigadas no terreno para acabar com as longas esperas", recordou o cidadão de 32 anos.

Para o António Rodrigues, apesar de se registarem grandes enchentes nos postos de registo, o processo de actualização está razoável porque os cartões estão a ser devolvidos algumas horas depois.

"Espero que na próxima fase procurem evitar essas filas porque é complicado estar sempre na fila e debaixo do sol para tratar qualquer documento, embora o processo esteja a andar razoavelmente", disse.

Na brigada da Comandante Jika, para fazer o registo os cidadãos são obrigados a retirar uma senha e estar à espera da chamada, mas a enchente acaba por causar várias desistências de muitos cidadãos.

"Já estive ontem aqui, mas não consegui actualizar porque estava muito cheio, então preferi regressar a casa com objectivo de estar aqui hoje mais cedo", adiantou António Rodrigues.

De acordo com um dos agentes da brigada do registo da Comandante Jika, uma das situações que esta a contribuir para uma maior adesão é o facto de algumas empresas estarem a pedir a cópia do registo eleitoral para a admissão do cidadão.

Acrescentando que por dia chegam a emitir cerca de 150 cartões.

A primeira fase, que vai abranger o recadastramento de todos os cidadãos maiores de 18 anos, que tenham realizado registo em 2012 e detenham os respectivos cartões de eleitor, e que começou no dia 25 de Agosto, termina no dia 20 de Dezembro.

Na segunda fase, que se prolonga até Março, o processo estende-se aos cidadãos que vão pela primeira vez proceder ao seu registo, cerca de 1,5 milhões de novos eleitores, e para aqueles já registados em 2008 e 2012, que tiverem extraviado os seus cartões de eleitor.

Primeira Página