Auditoria da Ernst & Young: Banco Prestígio não cumpre limite mínimo para o capital social

Isabel Costa BordaloPublicado 17/04/2017 13:31:00

Uma auditoria independente às contas de 2016 detectou incumprimentos no Banco Prestígio, que devem ser corrigidos durante o exercício de 2017, nomeadamente através de uma operação de aumento de capital.

Foto: DR

A auditoria realizada pela consultora Ernst & Young Angola conclui que as demonstrações financeiras em 31 de Dezembro de 2016, o desempenho financeiro e os fluxos de caixa relativos ao exercício findo naquela data estão de "acordo com os princípios e práticas contabilísticas geralmente aceites em Angola no sector bancário".

Contudo, o banco "não se encontra a cumprir os níveis mínimos regulamentares de capital social e fundos próprios (no montante de 2.500.000 milhares de kwanzas) definidos pelo Banco Nacional de Angola (BNA)", através do Aviso n.º 14/2013, de 15 de Novembro.

As contas de 2016 apresentam um activo líquido de 18.525.220 milhares de kwanzas, um resultado líquido de 36.028 milhares de kwanzas e um total de capital próprio de 2.021.009 milhares de kwanzas, ou seja, menos 478.991 milhares de kwanzas do que o valor mínimo exigido.

(Leia este artigo na íntegra na edição 478 do Novo Jornal, nas bancas, e também disponível por assinatura digital, que pode pagar no Multicaixa)

Primeira Página