Trinta dias de desgosto nacional... (opinião de Gustavo Costa)

Gustavo CostaPublicado 15/07/2017 10:01:00

Trinta e oito anos a serem completados dentro de dois meses e uma semana, é impossível não nos lembrarmos do dia 21 de Setembro de 1979...

É impossível não nos lembrarmos do choque que, onze dias antes, a 10 de Setembro, se abatia sobre Angola e do desnorte que se instalará entre uma imensa legião de fiéis da primeira "leva", subitamente transformados em "órfãos" de tenra idade...

É impossível não nos lembrarmos dos primeiros 30 dias que se seguiram à dolorosa ressaca de um vazio que a utopia julgava imortalizável.

É impossível não nos lembrarmos do "cerco" montado pelos herdeiros do "velho testamento" que se preparava para manietar e colocar sob a sua órbita o cérebro enigmático portador do "novo testamento" que aí vinha.

É impossível não nos lembrarmos da ardilosa estratégia urdida por este para, aos poucos, se ir desfazendo da teia e, sem ruídos, impor-se como novo regente da paróquia.

(A crónica Palavra de Honra pode ser lidam integralmente na edição em papel, nas bancas, ou em digital, cuja assinatura pode pagar no Multicaixa)

Primeira Página