Novo Jornal

Jornal de Angola aponta "falta de vergonha" a Portugal, e fala em "campanha internacional para denegrir" o país e dirigentes 

Se para o Governo as autoridades lusas agiram de forma "inamistosa e despropositada" em relação à acusação de corrupção contra Manuel Vicente, colocando em risco as relações bilaterais, para o diário estatal essa atitude "leviana" apenas confirma "a existência de uma campanha internacional para denegrir a imagem de Angola e dos seus principais dirigentes".

Política

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, cuja visita a Luanda está prevista para o primeiro semestre deste ano, reafirmou ontem a vontade de prosseguir a "cooperação política e económica" com Angola, e assegurou que o processo contra Manuel Vicente não vai afectar a sua relação com o país nem com os angolanos. A afirmação surgiu já depois de o Governo angolano ter avisado que o caso ameaça os laços bilaterais.


Política

A acusação do Ministério Público de Portugal contra o vice-Presidente da República, Manuel Vicente, foi divulgada de forma "inamistosa e despropositada" pelas autoridades lusas, considera o Executivo, que classificou a abordagem ao caso, pela imprensa portuguesa, como um "sério ataque à República de Angola, susceptível de perturbar as relações existentes entre os dois Estados".


Política

A carta rogatória expedida pelas autoridades portuguesas na semana passada poderá ditar o futuro do Vice-PR em países europeus, no quadro das acusações de que é alvo sobre alegado acto de corrupção.


Política

O restaurante Asia Lounge, situado no rés-do-chão do n.º55 da Rua da Missão nº 55, em Luanda, acolhe a partir desta sexta-feira, 24 de Fevereiro, a iniciativa "Especial Eleições Gerais 2017 do Novo Jornal", um ciclo de entrevistas que dá aos leitores a possibilidade de colocarem questões aos nossos responsáveis políticos. O primeiro convidado é Quintino Moreira, presidente da Aliança Patriótica Nacional.


Política

O ex-procurador luso Orlando Figueira, acusado de corrupção, branqueamento de capitais e falsificação de documentos no mesmo processo em que o vice-presidente da República está a ser visado, terá sido contratado como consultor do Banco Comercial Português (BCP) por pressão da gestão de Manuel Vicente na Sonangol. O cargo, segundo o Ministério Público de Portugal, foi uma das contrapartidas para o antigo magistrado luso arquivar dois inquéritos contra o número dois do Estado angolano.


Política

No primeiro comício depois de oficializada a sua condição de cabeça-de-lista do MPLA e candidato à Presidência da República nas próximas eleições gerais, marcadas para Agosto, João Lourenço apontou o combate à corrupção e a aposta no desenvolvimento socioeconómico como prioridades. Mas até que ponto o também vice-presidente do partido dos "Camaradas" pode fazer a diferença? O investigador dinamarquês Kirk Jensen responde.





Política

Quinze anos após o desaparecimento de Jonas Savimbi, ocorrido a 22 de Fevereiro de 2002, quando tinha 67 anos, a família continua a pedir ao Governo um "funeral digno" para o antigo líder da UNITA, enquanto o partido do 'Galo Negro' reclama a devolução, pelo MPLA, de um património de "milhões de dólares". Entre as reivindicações de uns e outros, evoca-se o legado histórico de Savimbi, com passagem por uma tentativa de conciliação com os "Camaradas", ensaiada nas vésperas da morte.


Política

Os líderes políticos coligados na CASA-CE e que nem são vice-presidentes, no caso de Sikonda Lulendo Alexandre e Felê António, lutam para que os seus nomes ocupem, pelo menos, o quarto ou quinto lugar na lista de candidaturas a deputados.


Política

João Lourenço quer uma Angola mais aberta ao exterior, com uma política de atribuição de vistos mais adequada a um tempo de paz e como instrumento de promoção e desenvolvimento do sector do turismo. Aproveitou o seu primeiro comício depois de confirmada oficialmente a sua condição de cabeça-de-lista do MPLA para defender uma nova politica de vistos, porque "é tempo de abrir as nossas mentes e de abrir o país ao mundo".


Política

João Lourenço deu hoje início à sua corrida para a Presidência da República como candidato do MPLA deixando claro que nada será como dantes e, ao mesmo tempo que apontava o desenvolvimento socioeconómico como o objectivo, foi claro ao defender que essa caminhada só e possível através da educação do povo, da garantia de que este tem acesso à saúde e, essencialmente, a garantia de que a corrupção tem os dias contados em Angola.


Política

O cabeça de lista do MPLA às eleições gerais de Agosto, João Lourenço, tem hoje ao final da manhã, na cidade do Lubango, Huíla, a sua primeira acção de campanha com comício, perante milhares de pessoas que já aguardam a sua subida ao palco onde surgem destacadas duas enormes fotografias, a do candidato e a de José Eduardo dos Santos.


Reportagem'

Novas centralidades, velhos problemas... do fascínio à frustração

Depois da atracção inicial, a Centralidade do Sequele, Cacuaco, como nas outras erguidas na periferia de Luanda, assistiu a uma corrida aos seus apartamentos, mas, agora, começam a surgir os problemas e, em muitos casos, a frustração que leva à saída de moradores porque não conseguem suportar os custos do ensino dos filhos, os hospitais estão longe... sem esquecer a despesa mensal com o combustível.

Primeira Página